Objetivos Sérios para Finanças à Séria

Começo com uma pergunta: Será que é importante a definição de objetivos para as nossas finanças pessoais?

Para responder a esta questão vou começar por clarificar de que forma devem ser definidos objetivos, sejam eles em relação ao que for. Talvez já tenha ouvido falar que uma boa definição de objetivos deve seguir o modelo S.M.A.R.T., ou seja, um objetivo deve respeitar um conjunto de 5 regras. Deve ser:

  1. Específico (S = Specific) – Um objetivo deve ser específico, evitando qualquer tipo de abstração ou ambiguidade. Por exemplo, conseguir “correr 10Km” é um objetivo específico em vez da ideia de “fazer desporto”, que seria ambígua.
  2. Mensurável (M = Measurable) – Um objetivo deve poder ser medido, ou avaliado, mais uma vez sem ambiguidades. Conseguir correr 10Km é um objetivo mensurável, pois podemos saber exatamente se o objetivo é alcançado ou não. O mesmo não seria possível se o objetivo fosse simplesmente “correr uma distância longa”, que para alguns poderia ser 10Km enquanto para outros podia ser 20Km.
  3. Alcançável (A = Attainable ) – A definição de um objetivo só faz sentido se o mesmo for alcançável, ou viável, para quem o define. Imagine que alguém define o objetivo de correr 10.000Km. Esse seria um objetivo específico e mensurável, mas impossível de alcançar, portanto, irrelevante.
  4. Realista (R = Realistic) – Um objetivo pode ser alcançável, por exemplo, conseguir correr 10km, mas não ser realista para uma determinada pessoa ou circunstância. Ao definir objetivos tenha sempre em conta se são objetivos realistas para si e para as outras pessoas envolvidas.
  5. Delimitado no tempo (T = Time-bound) – Se um objetivo não tiver associada uma meta temporal, não será um objetivo concreto. Imagine que o objetivo de conseguir correr 10km não tem uma meta temporal. Como é possível saber se o objetivo foi alcançado? Será possível dizer eternamente que o objetivo ainda está em aberto e possível de alcançar, pois não há uma data limite definida para a sua conclusão.

Agora sobre a minha questão inicial.

A maioria das pessoas tem ideias para as suas finanças pessoais, mas essas ideias na maioria dos casos são sonhos ou desejos. Atenção, não há nada de errado em ter esses sonhos ou desejos, o que é errado é quase sempre não existirem objetivos (SMART) para os alcançar. Imagine que sonha em comprar um carro para o próximo ou deseja pagar o seu crédito à habitação no prazo de 10 anos. Para qualquer dos casos, só uma definição clara de objetivos intermédios pode levá-lo a conseguir concretizar os seus sonhos. Essa definição vai conseguir levá-lo de etapa em etapa até ao grande objetivo final. E até pode ser que, ao definir os objetivos intermédios, tenha que concluir que o seu desejo é irrealista e que tem que o redefinir.

A definição de objetivos tem ainda mais vantagens que deve considerar. Por exemplo, ao definir objetivos vai parar e dedicar tempo para refletir sobre as coisas. Esse é um aspeto da maior importância, pois parar para pensar de forma ponderada, é algo que muitas pessoas não fazem. Nessas ocasiões vai questionar-se, considerar alternativas, eventualmente envolver outras pessoas no processo de decisão. E daí virá uma maior riqueza na definição das suas metas.

Se neste momento não tem objetivos claros para as suas finanças pessoais, então sugiro-lhe que o comece a fazer desde já. Só dessa forma poderá começar a ter um verdadeiro controlo sobre a sua vida.

1 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados